campanha outubro rosa 1

Campanha Outubro Rosa: entenda a importância de se prevenir

Você já conhece a Campanha Outubro Rosa? Sabe como surgiu e por que toda mulher deveria prestar atenção nisso com urgência? Veja tudo sobre o assunto agora!

O câncer de mama é o tipo de tumor que surge com mais frequência em mulheres no mundo inteiro. Somente no ano de 2018, o câncer de mama afetou a vida de mais de 2,1 milhões de mulheres no mundo, causando 627 mil óbitos em decorrência da doença.

São vários os fatores de risco para a doença, como: sobrepeso e obesidade depois da menopausa, consumo exagerado de bebidas alcoólicas, sedentarismo, contraceptivos hormonais, entre outros.

Visando reduzir estes números e promover um acesso mais amplo para o tratamento do tumor, no Outubro Rosa, várias instituições nacionais e internacionais empenham-se no combate contra o câncer de mama.

Quer saber mais sobre a Campanha Outubro Rosa que ajuda milhões de mulheres no combate contra o câncer de mama? Continue abaixo.

 

O que é a Campanha Outubro Rosa e por que é tão importante?

Outubro Rosa é uma campanha de conscientização mundial que tem como foco alertar as mulheres sobre a importância da prevenção e do diagnóstico precoce do câncer de mama.

A Campanha Outubro Rosa foi criada pela Fundação Susan G. Komen for the Cure, em 1990, quando aconteceu a primeira Corrida pela Cura. promovida na cidade de Nova York. 

Na época, este evento acontecia sem a participação de instituições públicas ou privadas, mas a medida em que o movimento se popularizou, outubro foi instituído como o mês voltado para a conscientização e prevenção do câncer de mama  nos Estados Unidos.

No Brasil, a primeira ação da Campanha Outubro Rosa aconteceu em 2002, no parque do Ibirapuera, quando se deu a iluminação cor-de-rosa do Obelisco Mausoléu ao Soldado Constitucionalista. 

Após a campanha se espalhar no mundo inteiro, carregando a bandeira da luta contra o câncer de mama, diversas instituições começaram a abordar o tema visando encorajar as mulheres a realizarem seus exames de prevenção.

 

Campanha Outubro Rosa: como diagnosticar o câncer de mama?

campanha outubro rosa 2 

Existem duas formas de detectar o câncer de mama: a mamografia e o exame de toque

O ideal é fazer o exame de toque todos os meses, vendo se há alguma anormalidade nos seios; já a mamografia deve ser feita anualmente.

Um fato encorajador para as mulheres realizarem o exame de câncer de mama é que o diagnóstico precoce pode aumentar em 90% as chances de cura da doença e possibilitar que a mulher leve a sua vida normalmente.

A realização do exame de toque é recomendada para todas as mulheres maiores de 20 anos de idade, devendo ser feita 7 dias após o início da menstruação. E em tempos de menopausa, a mulher deve escolher um dia no mês para fazê-lo.

Por meio do autoexame, a mulher pode investigar se existe alguma irregularidade nas mamas, como: 

  • Inchaços
  • Irritações
  • Dores
  • Vermelhidão
  • Secreções.

Se houver também alguma retração, espessamento e inversão do mamilo ou pele e endurecimento nos nódulos, é um sinal de alerta. Procure um médico.

Mas só o exame de toque não basta. O ideal é que você busque fazer com frequência a mamografia.

O câncer de mama afeta principalmente mulheres que estão na idade da menopausa (entre 45 e 55 anos). Por isso que, a partir dos 40 anos, as mulheres devem realizar todos os anos a mamografia.

 

Por que fazer a mamografia?

A mamografia é o principal exame para identificar precocemente o câncer de mama

Um estudo realizado no Reino Unido, entre 1990 e 1997, demonstrou que o exame, feito em mulheres com 40 anos ou mais, tem a capacidade de reduzir em até 25% o número de mortes causadas pelo câncer de mama. Pelo menos, durante os primeiros 10 anos de acompanhamento.

Este exame é feito em um aparelho chamado mamógrafo, que tem a capacidade de gerar imagens raio-x em alta qualidade com o objetivo de detectar a existência de possíveis lesões na mama, antes mesmo que você perceba qualquer anormalidade.

A maior incidência de casos deste tipo de câncer ocorre quando a mulher está entre os 50 e os 60 anos de idade. 

Mas é importante ressaltar que, segundo a Sociedade Brasileira de Mastologia (SBM), o Colégio Brasileiro de Radiologia e Diagnóstico por Imagem (CBR) e a Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia (FEBRASGO): 

O exame de mamografia deve ser feito anualmente por mulheres a partir dos 40 anos de idade.

 

Campanha Outubro Rosa: como se prevenir do câncer de mama?

campanha outubro rosa 3

Dependendo do estágio ou genética, fica mais difícil prevenir, mas alguns hábitos podem ajudar na redução das chances de desenvolvimento do tumor.

Estas são algumas recomendações do INCA para a prevenção do câncer de mama:

  • Não fumar: estima-se que fumar mais de um maço de cigarros por dia durante 10 anos pode aumentar em 60% as chances de mulheres com mais de 44 anos desenvolverem câncer de mama. Além disso, o cigarro contém cerca de 4.700 substâncias cancerígenas.
  • Escolher se alimentar de forma saudável: ter uma alimentação rica em alimentos de origem vegetal (frutas, legumes, verduras, cereais e outras leguminosas) e pobre em alimentos ultraprocessados (salsicha, bacon, hambúrgueres), pode prevenir um eventual surgimento do câncer.
  • Evitar a ingestão de bebidas alcoólicas: a ingestão de álcool é um dos grandes responsáveis pelo surgimento de novos casos de câncer de mama. Uma dose de álcool por dia pode aumentar as chances de desenvolvimento do câncer em 5%. Em relação a mulheres que têm o hábito de beber mais — 3 ou mais doses por dia — o risco de contrair a doença aumenta em 50%.
  • Praticar atividades físicas: estudos afirmam que exercitar o corpo com frequência e permanecer ativo pode reduzir o risco de desenvolvimento do câncer de mama em 20%. 

Independentemente do esporte praticado, essa taxa aumenta para 50% para mulheres que praticam 9 horas de exercício físico por semana. Junto a atividade física, a massoterapia também pode ser uma ótima aliada para a prevenção do câncer de mama.

 

Massoterapia e prevenção do câncer. O que uma coisa tem a ver com a outra?

Uma organização norte-americana chamada College Associates promoveu um estudo que investigava o efeito de terapias complementares para o Instituto Nacional de Saúde dos Estados Unidos. 

Na conclusão dessa pesquisa, mostrou-se que a massagem é uma prática eficiente no tratamento contra o câncer.

Neste estudo, ao acompanhar 97 pessoas com algum tipo de tumor e em variados estágios, constatou-se que a massagem tem um impacto benéfico na qualidade de vida de quem luta contra o câncer. 

Segundo os pesquisadores, uma única sessão de 20 minutos de massagem tem a capacidade de reduzir a ansiedade e as dores dos pacientes em até 50%. 

Os cientistas que conduziram a pesquisa apontaram que este resultado acontece porque a massagem aumenta a liberação de substâncias como serotonina e dopamina.

Estas substâncias atuam no organismo reduzindo a transmissão de impulsos dolorosos para o sistema nervoso e também distraem o paciente e tiram a sua atenção nos incômodos da doença.

Se você também precisa reduzir a ansiedade e as dores, conheça os serviços de massoterapia do Espaço Prana nesta Campanha Outubro Rosa.

Cadastre-se e receba nossas promoções e novidades